9.6.3 Quando é que a Mudança acontece

As mudanças organizacionais requerem alterações a todos os níveis da empresa. Os gestores devem ter em consideração vários factores:

  • A mudança deve ser realista, clara e exequível.
  • Se tentar forçar a mudança não será bem sucedido.
  • A mudança tem de ser compreendida e gerida para que as pessoas possam lidar com ela. A mudança é perturbadora. Por esta razão quem apresenta um plano de gestão da mudança tem de ter autoridade.

A mudança pode ser difícil, mas pode salvar a empresa e os empregos. Contudo, causa sempre stress e provoca a resistência natural das pessoas. As pessoas precisam de apoio e tempo para se adaptar à mudança. O gráfico abaixo ilustra as fases de adaptação que as pessoas geralmente percorrem face a mudanças na empresa:


Figura 1: Fases de Adaptação durante a transição
.1


Primeira fase: Choque. Os trabalhadores sentem-se ameaçados e confusos. Retiram-se e não querem assumir riscos. Domina o medo e a tensão. O desempenho diminui.

Segunda fase: Retirada defensiva. Após o choque dá-se uma reação furiosa: resistência aberta, conflito, boicote à mudança, aumenta a rotação do pessoal.

Terceira fase: Reconhecimento. A oposição activa diminui. Há queixa mas surge a reconciliação. Os trabalhadores têm uma visão mais objectiva dos prós e contras da nova situação. Se os primeiros passos da mudança são bem sucedidos, a vontade de arriscar aumenta.

Quarta fase: Aceitação e adaptação à mudança. As pessoas comparam antes e depois da mudança e admitem que a mudança pode ser boa.

1 Human Resource Management in Crisis, Presentation, Stara Zagora, 10.09.2009.